gengivite

Doença periodontal – o que é isso?

Doença periodontal – o que é isso?

Quando o dentista diz que você tem doença periodontal, é possível que um monte de dúvidas apareçam em mente. Vamos respondê-las uma a uma, partindo das mais comuns.

#1 – A DOENÇA PERIODONTAL É UMA INFECÇÃO NOS OSSOS E GENGIVA AO REDOR DOS DENTES. O principal sinal é sangramento quanto se escova ou se passa fio dental. PORQUE GENGIVA SAUDÁVEL NÃO SANGRA! Não é a escovação, nem o fio, nem o palito de dentes que causam o sangramento. É a inflamação da gengiva como resposta à infecção. Como ocorre um crescimento de bactérias da doença, é comum que acompanhe o mau hálito, mesmo com uma escovação cuidadosa.

#2 – A DOENÇA PERIODONTAL É PROGRESSIVA. Mas não é contínua. Acontece em períodos de maior gravidade, com bastante sangramento e gengivas inchadas. Até um pouco de dor, mas não é muito comum. Em geral, passam-se anos e só dói em estágio muito grave mesmo! Depois de períodos de maior inchaço e sangramento, a gengiva volta quase ao normal e fica uma inflamação pequenininha, mas que ainda existe. A perda do osso que sustenta o dente é maior nos períodos de maior sintoma e menor nos períodos que a doença está quietinha. No entanto, só há paralisação da progressão com o tratamento periodontal.

#3 – GENGIVITE X PERIODONTITE. A diferença entre os nomes é que a gengivite é uma inflamação somente da gengiva. Bem superficial e comum em jovens e adolescentes. E na gravidez. Já a periodontite é um agravamento da gengivite quanto começa a ter perda óssea e de gengiva. Esta sim, é a forma progressiva e precisa de tratamento.

#4 – TEM ALGUM REMÉDIO PARA MATAR ESSAS BACTÉRIAS? Até tem, mas só tem indicação em casos específicos, já que a doença periodontal é causada por um crescimento anormal de um grupo de bactérias da nossa microbiota normal. Essas bactérias existem na boca de todos, mas numa proporção be pequena. Não há grande vantagem em tomar muito antibiótico, se essas bactérias reaparecerão na microbiota. Mas tratar, e imprescindível. Procure um periodontista que é o especialista responsável por essa área.

Posted by Dra. Cristina Miura in Todos, 4110 comments
Porque aparece tanta gengiva no meu sorriso? Sorriso gengival tem jeito?

Porque aparece tanta gengiva no meu sorriso? Sorriso gengival tem jeito?

Ao invés de um sorriso branco, aparece um monte de gengiva. Os dentes são pequenos, quadradinhos… Isso se chama Sorriso gengival ou gengivoso e tem jeito, sim!

SORRISO GENGIVAL. O BIOTIPO DE GENGIVA É DETERMINADO GENETICAMENTE. Assim como a espessura dos cabelos é determinadas geneticamente, a espessura da gengiva também é. A gengiva é a proteção do osso que sustenta os dentes. E para algumas pessoas, tanto o osso quanto a gengiva são bastante grossos. Aí quando sorri, aparece uma gengiva grossa em primeiro plano, e os dentes, em segundo.

TODOS OS DENTES APRESENTAM UMA PROPORÇÃO DE ALTURA/LARGURA. Até existem diferenças individuais de tamanho, mas a proporção é igual. Em outras palavras, NÃO EXISTE DENTE QUADRADO NA NATUREZA! Todos os dentes são alongados. Mas podem aparentar-se pequenos e quadrados, quando o biotipo gengival for espesso e cobrir esses dentes.

COMO É O TRATAMENTO DO SORRISO GENGIVAL? É um procedimento cirúrgico para diminuir a grossura do osso e o tamanho da gengiva. Parece assustador, mas não é. A cirurgia tem um pós-operatório muito confortável.

SERÁ QUE VAI FICAR BOM? Claro que mexer no sorriso dá mil e uma inseguranças, mas na metodologia de desenho digital do sorriso (DSD – digital smile design), é possível fazer um desenho antecipado do sorriso. Assim,  combinamos com a pessoa que tipo de sorriso gostaria de ter, através de uma simulação digital. Isso dá muita previsibilidade de acerto!

VAI FALTAR OSSO PARA O DENTE UM DIA? A GENGIVA VAI RETRAIR MAIS TARDE? Não vai faltar osso, porque ali já tem mais que o suficiente para a sustentação. Seria uma remoção estética, só para mudar a característica de espessura. E gengivas que retraem são sempre as de biotipo fino. Quem tem biotipo espesso, só tem retração por outras causas. Veja a postagem de bruxismo, por exemplo.

VAI TER SENSIBILIDADE OU HIPERSENSIBILIDADE? Dependendo do tamanho do dente escolhido, poderá haver uma sensibilidade PASSAGEIRA. Um pouco da raiz pode ficar exposta, mas se não houver outras causas que estimulem a sensibilidade, o próprio corpo, trata de eliminar esse desconforto. Em semanas ou meses, tudo passa.

E tudo mais, com esse nosso novo jeito de fazer Odontologia, explorando o melhor do mundo da ciência e terapia integrativas como Florais, Laserterapia e Acupuntura. A ciência e o conforto acompanham os tratamentos estéticos possíveis!

Posted by Dra. Cristina Miura in Todos, 3399 comments
Tabagismo – vai queimar a sua saúde bucal?

Tabagismo – vai queimar a sua saúde bucal?

Todos já conhecem os inúmeros malefícios do tabagismo – ou o hábito de fumar. Além de todos esses, a doença periodontal é outra consequência grave do tabagismo. Compreenda o por quê.

O TABAGISMO DIMINUI A DEFESA LOCAL. Por um mecanismo chamado vasoconstrição, que é o estreitamento dos vasos sanguíneos por conta do cigarro, todas as células de defesa da gengiva acabam tendo muita dificuldade de chegar.

DIMINUI A QUANTIDADE DE OXIGÊNIO DISPONÍVEL PARA AS CÉLULAS. Também pela vasoconstrição, e isso faz com que as bactérias que não usam oxigênio comecem a supercrescer! São as bactérias anaeróbias! Essas bactérias estão relacionadas com a doença periodontal. A combinação de diminuição de defesa e aumento das bactérias anaeróbias é perfeita para uma baita infecção.

A INFECÇÃO É DEVASTADORA! Infecções gengivais nos fumantes têm avanço muito rápido, causando destruição da gengiva e do osso ao redor do dente. Repentinamente, quando menos se espera, a pessoa é acometida de forte dor, amolecimento do dente e perda irreversível.

AS CÉLULAS GENGIVAIS SÃO INTOXICADAS PELOS PRODUTOS DO CIGARRO E TÊM DIFICULDADE EM CICATRIZAR. Porque o corpo todo tem uma capacidade de reparo quanto algum dano físico ou bacteriano acabam chegando. Mas com a toxicidade, tudo acaba ficando mais difícil.

O TRATAMENTO TEM RESULTADOS LIMITADOS. O tratamento periodontal no tabagismo melhora, mas com limitações. Conseguindo parar de fumar, o resultado do tratamento será muito mais efetivo!

A NOTÍCIA BOA É QUE PARAR DE FUMAR REVERTE TUDO ISSO AQUI DESCRITO! Sem contar nos ínúmeros ganhos em saúde! Após 6 meses, a pessoa que parou de fumar tem o retorno da imunidade gengival, a melhora da microbiota bucal e da capacidade de reparação. Só o corpo não consegue fazer crescer de novo o osso e gengiva perdidos, por isso, a prevenção é sempre a melhor escolha.

Está esperando o quê? Antes que seja tarde, escolha pela sua saúde!

 

Posted by Dra. Cristina Miura in Todos, 4012 comments
Problemas do coração – Previna também com saúde bucal!

Problemas do coração – Previna também com saúde bucal!

Sabia que o sangue que passa nos dentes também passa pelo coração? E que toda infecção e inflamação da boca podem colaborar nos problemas do coração. Ainda bem que manter dentes e gengivas saudáveis revertem boa parte disso!

SABE O QUE PROBLEMAS BUCAIS E DO CORAÇÃO TEM EM COMUM? A INFLAMAÇÃO. O sangramento gengival é o sinal mais comum de problema na boca. Isso é sinal de inflamação. Problemas do coração também são causados por inflamação. Infarto, acidente vásculo cerebral (derrame), entupimento das artérias – são todos problemas de inflamação.

COMO A SAÚDE BUCAL INTERFERE? Entenda que temos muitos microrganismos na boca. Que são até importantes – a nossa microbiota bucal. No entanto, vários fatores como alimentação inadequada, higiene insuficiente e problemas metabólicos como diabetes, essa microbiota começa a se modificar. Começa um supercrescimento de bactérias prejudiciais. O corpo começa então num processo de defesa que é a INFLAMAÇÃO!

ESTUDOS COMPROVAM A RELAÇÃO DA SAÚDE BUCAL E A PREVENÇÃO DE PROBLEMAS DO CORAÇÃO. Algumas proteínas marcadoras medidas pelo sangue, avisam que já existem problemas. Uma delas é a Proteína C Reativa que fica aumentada quando existe muita inflamação no corpo. E isso é um risco para os problemas do coração. A notícia boa é que a manutenção da saúde bucal reverte esse risco.

ÁREA DE CONTADO DENTE/SANGUE. Imagine que ao redor de cada dente, pode existir um monte de bactérias ruins inflamando as gengivas. Imagine a área de contato dos dentes infectados com as gengivas ao redor de cada dente, espichadinhos! Dá o tamanho de uma página de caderno! Esse contato, irrita continuamente o corpo, aumentando a inflamação. Quanto aos cuidados: compareça regularmente ao dentista para uma sessão de manutenção e prevenção, faça uma higiene cuidadosa e tenha um estilo de vida saudável.

OUTROS FATORES DE RISCO. Diabetes, hipertensão (pressão alta), dislipidemias (excesso de gorduras no sangue) e tabagismo (fumo) também contribuem com problemas do coração. Seja acompanhado de perto também pelo seu médico.

TERAPIAS COMPLEMENTARES. Como acupuntura, auriculoterapia, laserterapia ILIB, florais são parte das práticas clínicas muito utilizados por nós, com excelentes resultados. Além do estilo de vida saudável através de sono adequado, alimentação e exercícios físicos.

Posted by Dra. Cristina Miura in Todos, 4061 comments
Aparelho ortodôntico que dói ou machuca? O que fazer?

Aparelho ortodôntico que dói ou machuca? O que fazer?

Aparelho ortodôntico machuca? Morre de dor a cada ativação do aparelho? Das soluções mais naturais às mais tecnológicas, algumas dicas interessantes para auxiliá-lo.

Aparelho ortodôntico é o sonho de ter um sorriso lindo e perfeito… mas… às vezes dói! Veja como contornar esses pequenos problemas.

CERAS E RESINAS ESPECIAIS. Peça ao seu dentista um pouco dessas ceras colocadas sobre os braquetes, para diminuir o atrito do aparelho na mucosa da boca, lábios e bochechas. Resinas especialmente desenvolvidas também diminuem esse atrito. Mas estes, colocados e endurecidos no consultório.

LASERTERAPIA LOCAL. Laseres são luzes especialmente desenvolvidas para determinados fins. Para odontologia, são utilizados principalmente os laseres terapêuticos, com comprimentos de onda com efeito bioestimulante. Isso significa que estimula as células a fazerem com maior eficiência o que devem fazer. Células feridas serão repostas mais rapidamente, apresentando uma cicatrização mais acelerada. Apresentam também um efeito analgésico local, de diminuir a dor tanto para melhoria em caso de ferimentos ou após a ATIVAÇÃO DO APARELHO.  Há casos de ferimentos que dificultam muito a fala ou alimentação. Após algumas horas de aplicação do laser, a dor diminuir e a cicatrização torna a alimentação possível. Em outras palavras, a tecnologia ajuda a passar por esse período de alinhamento de dentes, com menos sofrimento.

LASERTERAPIA ILIB. É um acrônimo do inglês Intravascular Laser Irradiation of Blood. Uma laserterapia aplicada na corrente sanguínea, através da pele, com uma pulseira posicionadora do equipamento. Diminui a quantidade de radicais livres, inflamação e dor. Diminuir a dor do aparelho ortodôntico e cicatriza. E um efeito de cicatrização sem igual. Não é à toa que seu principal uso é em clínicas de estética, como terapia rejuvenescedora!

CHÁS E PRODUTOS NATURAIS. O aparelho ortodôntico machuca e começa um processo inflamatório para cicatrização. E isso dói! Atenção à listas de chás com efeitos antiinflamatórios: malva, camomila e erva doce.  Pode fazer que funciona! Aqueça uma xícara de água até formar bolhinhas. Desligue e coloque uma colher de chá da planta seca ou fresca. Tampe e deixe esfriar. Use esse chá somente no dia como bochecho.

HIGIENE CAPRICHADA!!! E de nada adianta tudo isso, se o seu aparelho virar um albergue de bactérias pela escovação ruim! Capricho, portanto!

Mais dicas de saúde bucal em www.cristinamiura.com.br

Posted by Dra. Cristina Miura in Todos, 3866 comments
Gengivite tem cura? Tem sim!

Gengivite tem cura? Tem sim!

Já foi a época de pensarem que gengivite não tem cura, que evolui com o tempo e dos dentes um dia amolecem e caem. Entenda as causas e o tratamento da gengivite

QUAL A CAUSA DA GENGIVITE? Todos temos a microbiota bucal, que é um conjunto de micróbios que vivem naturalmente na boca. Até com um papel protetor contra outras doenças. A cárie é uma delas. Mas por alguns motivos como higiene inadequada, muito cálculo (ou tártaro), falta de manutenções preventivas no dentista, diabetes, tabagismo (cigarro e narguile) e alterações hormonais, a gengivite pode aparecer.

UM DESEQUILÍBRIO ECOLÓGICO NA BOCA? Quando algumas bactérias que causam inflamação supercrescem em proporção, os restos do metabolismo destas produzem irritantes que fazem o corpo se defender em forma de inflamação. Esta inflamação é percebida como sangramento na gengiva ao escovar ou passar fio dental. A mesma coisa pode acontecer em implantes também. Portanto, gengivas não podem sangrar nunca!

HÁ CASOS EM QUE A PESSOA TEM MAIS TENDÊNCIA À GENGIVITE. Algumas causas são genéticas, mas na maior parte das vezes, são alterações hormonais ou diminuição das defesas.

ADOLESCENTES, GRÁVIDAS, DIABÉTICOS, MENOPAUSA alteram grandemente o equilíbrio da gengiva, aumentando a chance de ter inflamação. A inflamação deve ser combatida a todo custo. Até porque O MESMO SANGUE QUE PASSA NA BOCA, PASSA NO RESTO DO CORPO causando inflamação no corpo todo. Portanto, doenças do coração e diabetes que são também inflamatória, podem piorar ou melhorar, conforme a situação bucal.

COMO TRATAR E PREVENIR? O tratamento é realizado por um profissional e a especialidade é a Periodontia. Consiste em manter os dentes perfeitamente lisos e limpos para reequilibrar essa microbiota normal. E a prevenção é o cuidado diário para que diariamente, o hábito da escovação cuidadosas e uso de fio dental seja instituído.

Saiba mais em www.cristinamiura.com.br que se propõe a ser um canal de comunicação de informações para sua saúde bucal!

 

Posted by Dra. Cristina Miura in Todos, 899 comments
Dentaduras… sabe como mantê-la limpinnha?

Dentaduras… sabe como mantê-la limpinnha?

Dentaduras também são parte importante da saúde bucal. Merecem um cuidado especial!

  1. REMOVA DIARIAMENTE PARA UMA BOA HIGIENE. Que tal no horário do banho corporal, estabelecer que será o horário do “banho” da prótese? Preferencialmente com um produto específico pelo poder de matar microrganismos nas reentrâncias da prótese. Sem isso, infecções de fungos como candidíase no céu da boca ou no cantinho da boca podem ocorrer com frequência. Podem ser incômodas, e a forma de controle seria essa desinfecção diária.
  2. QUE PRODUTO USAR PARA A DESINFECÇÃO? Existem produtos prontos disponíveis nas farmácias com esse efeito antimicrobiano, com sabor e odor bastante agradáveis. Mas a velha e boa água sanitária poderá ser utilizada num pote de plástico, na proporção de uma colher de sopa aproximadamente, para uma xícara de água. 5 minutos de imersão, ou durante o período do banho são suficientes para essa higiene.
  3. COMO ESCOVAR? Bom lembrar que dentaduras não são dentes. E o uso da pasta convencional, poderá riscar e tirar o brilho da prótese. Use detergente de louça e uma escova dura. Existem também escovas próprias com desenho anatômico para a parte interna da prótese à venda em grandes farmácias.
  4. CUIDADO PARA NÃO DERRUBAR! Dentadura fora da boca, com água e sabão é um perigo para que ela escorregue e se espatife no chão. Faça sempre essa higiene sobre uma toalha como anteparo para quedas.
  5. COMO RETIRAR O TÁRTARO E MANCHAS DA DENTADURA? Inúmeros fatores individuais favorecem a maior formação de cálculo. Para isso, mergulhe em vinagre e a cada 5 minutos remova com a escova o cálculo ou as manchas. Mas não misture água sanitária com vinagre, que um anula o efeito do outro, por serem incompatíveis.
  6. E QUANDO O DONO DA PRÓTESE NÃO CONSEGUE CUIDAR DISSO? Por favor, familiares cuidadores, remova para higiene após cada refeição. E para estômagos sensíveis… use luvas! Veja mais dicas em www.cristinamiura.com.br

 

Posted by Dra. Cristina Miura in Todos, 2426 comments
Diabetes e saúde bucal. Conhece essa relação?

Diabetes e saúde bucal. Conhece essa relação?

Sabia que a sua saúde bucal colabora grandemente no controle do diabetes? Doenças da gengiva têm uma coisa em comum com o diabetes: ambas são doenças inflamatórias. Controlar uma auxilia no controle da outra.

Diabetes… doença silenciosa e de controle complexo. Veja aí mais uma para o arsenal de tratamento.

  1. AUMENTA 2,5 VEZES MAIS RISCO DE TEREM DOENÇA PERIODONTAL. Todos temos muitas bactérias do bem na microbiota bucal. Mas alguns fatores, entre eles o diabetes, diminuem a resposta de defesa e deixam a pessoa mais suscetível de ser infectados por algumas bactérias da doença. Essas ainda se proliferam, aumentam em proporção desencadeando a doença. Portanto, cuidar dos níveis de açúcar no sangue é uma baita prevenção à doença periodontal.
  2. A ÁREA DE GENGIVAS INFLAMADAS AO LONGO DOS VÁRIOS DENTES DA BOCA É GRANDE. Portanto, a área de inflamação é igualmente grande. Num estudo medindo a área afetada num caso de doença, é equivalente à área de um antebraço. Como se o antebraço estivesse todo machucado, aberto à entrada de micróbios. Toda área inflamada é aberta aos micróbios da boca. E diabéticos precisam cuidar com infecções.
  3. MUITO AÇÚCAR NO SANGUE PIORA A FUNÇÃO DAS CÉLULAS DE DEFESA. As células estão lá, prontinhas para defender, mas o excesso de açúcar dificulta a função de defesa tanto dos micróbios da doença periodontal, quanto de muitos outros.
  4. A INFLAMAÇÃO GENGIVAL PIORA O DIABETES. Porque em toda a inflamação acontece a liberação de sinalizadores no sangue, chamadas citocinas e outros mediadores inflamatórios correndo no sangue. Como se fossem “cartas” enviadas no sangue, deixando todo o corpo em alerta para se inflamar. Portanto, onde houver inflamação em algum outro lugar no corpo, essa será piorada com esses sinalizadores. E a inflamação mais grave são os que podem causar entupimento das artérias do coração! Também por isso é muito comum que diabéticos tenham problemas cardíacos.
  5. E a conclusão que a ciência chegou é que O CONTROLE DA DOENÇA PERIODONTAL MELHORA O DIABETES! E vice versa.

 

Posted by Dra. Cristina Miura in Todos, 4062 comments
O tratamento periodontal é o controle do microbioma. Muito mais que limpeza.

O tratamento periodontal é o controle do microbioma. Muito mais que limpeza.

É muito mais que ‘limpeza dental’. Acompanhar a saúde deste microbioma é o principal objetivo do tratamento periodontal.

  1. MICROBIOMA É SINÔNIMO DA ECOLOGIA DOS MICRÓBIOS.
  2. A MAIORIA DAS BACTÉRIAS DA BOCA SÃO BENÉFICAS. Mesmo em momentos de doença! A diferença está na proporção de bactérias inflamatórias como Agregattibacter actynomincetemcomitas ou Prophyromonas gingivalis, que acaba aumentando em estados de doença.
  3. O TRATAMENTO PERIODONTAL SIGNIFICA MAIS QUE UMA LIMPEZA. A intenção é dar mais condições para que a microbiota retorne ao estágio de equilíbrio. Remover o cálculo dentário, alisar raízes e polir elementos dentários vai dificultar a sobrevivência dessas bactérias de doença na boca.
  4. EXISTEM “LIMPEZAS” E TRATAMENTOS CHEIOS DE PROPÓSITO E INTENCIONALIDADES. Limpeza é passar o ultrassom com jato para fical limpinho. Tratamento periodontal é localizar detalhadamente todos os cantinhos e asperezas possíveis dentro da boca, a fim de garantir a saúde dental e gengival.
  5. AS BACTÉRIAS RELACIONADAS COM A DOENÇA PRECISAM DE UMA CONDIÇÃO ESPECIAL PARA SOBREVIVER. São “esconderijos” sem oxigênio e sem acesso à higiene como cálculo ou bolsa periodontal. Levam ao menos 21 dias para que comecem a se proliferar, porque precisam de um ambiente altamente específico. Na intervenção profissional, todos esses cantinhos são alisados ou polidos, a fim de dificultar o supercrescimento das bactérias da doença.
  6. BACTÉRIAS DA DOENÇA (OU PERIODONTOPATOGÊNICAS) CAUSAM INFLAMAÇÃO. Quando em maior proporção, liberam toxinas inflamatórias. Assim, percebe-se o sangramento gengival. Um exame profissional chamado “sangramento à sondagem” é o sinal mais inicial de que a microbiota está desequilibrada. Em casa, o exame mais fácil é: ao passar o fio dental dentro do espaço entre o dente e a gengiva, este sair seco, sem sangramento.
  7. 30 A 40 DIAS APÓS O TRATAMENTO, UMA REAVALIAÇÃO OBSERVA OS RESULTADOS OBTIDOS. É um tempo médio para acompanhar a mudança do microbioma. Sem sangramento, sem halitose, com gengivas rosadas e saudáveis.
Posted by Dra. Cristina Miura in Todos, 2101 comments
Sabe escovar os dentes do jeito certo? Dica de dentista aqui.

Sabe escovar os dentes do jeito certo? Dica de dentista aqui.

Que escovar os dentes é importante, todos já sabem. Mas assim como tem gente que escova menos, há quem escove demais! Mas como saber ao certo?

Escovar menos causa cárie, gengivite e periodontite. Mas escovar demais, provoca desgaste e retração gengival. Acompanhe esse artigo:

  1. SUA ESCOVA SE DEFORMA EM MENOS DE 3 MESES? Desde que seja uma escova de boa marca e macia, ela deverá se manter em forma por ao menos três meses. Após esse período, a pontinha do nylon da escova fica gasto e ela perde a capacidade de escovar nos cantinhos. Assim como uma vassoura que entortou demais, não consegue mais chegar no cantinho da casa. Entendeu?
  2. JÁ QUEBROU O CABO DE UMA ESCOVA? Escovas são desenhadas para um movimento suave. Mostre para o seu dentista como você escova para que ele avalie se realmente é forte demais.
  3. TEM DENTES SENSÍVEIS COM COISAS FRIAS, DOCES OU ÁCIDAS? Essa é a principal consequência, porque o esmalte dos dentes acaba se desgastando com a força deixando a dentina exposta, e não há nada que faça acabar com essa sensibilidade. Bruxismo ou apertamento dental também são outra causa de dentes sensíveis, pelas microtrincas que causa na dentina. Na dúvida, peça para um dentista avaliar.
  4. DENTES LISOS NO MEIO E ÁSPEROS NOS CANTOS. Essa é uma característica comum de quem escova muito forte. Acompanhe passando a língua entre os dentes ou entre o dente e a gengiva e sinta se estão ásperos ou lisos. Não adianta escovar nem mais vezes, nem mais forte. É importante escovar do jeito certo. Existe uma tinta chamada “evidenciador de placa bacteriana” que pinta onde é preciso realmente escovar. Ou vá tateando com a língua onde ainda existem asperezas e higienize principalmente nesses lugares. Utilize escovas elétricas modernas que travam quando há força excessiva ou escovas unitufo ou monotufo, que permitem que se higienize exatamente onde for necessário.
Posted by Dra. Cristina Miura in Todos, 2723 comments